Adversários - (Joanna de Ângelis e Divaldo P. Franco)

Adversários

(Joanna de Ângelis e Divaldo P. Franco)

Ninguém, na Terra, está livre da vigilante presença de adversários. 
Inspecionam as nossas imperfeições e fazem exigências. 
Sorriem alguns, escondendo a animosidade que os atormentam. 
Quase todos ignoram por que se fazem adversários - como se razão alguma justificasse a inimizade. Simplesmente deixa-se afetar pelos sentimentos inferiores. 
Supondo-se traídos ou subestimados, entrega-se à ira ou deslizam pelo ciúme até a antipatia. 






São, porém, benfeitores indiretos, que nos auxiliam na descoberta de nossas falhas e exigem austeridade, otimismo e humildade. 
O importante é não ser adversário de ninguém, porque isso é que nos rouba a paz. 
Quando reagimos, revidando ao agressor, passamos a sintonizar com ele, estabelecendo perniciosa interdependência psíquica. 
Por nosso exemplo de fé e amor, transformemos os adversários, que nos criam dificuldades, em auxiliares do nosso progresso, e não revidamos o mal com mal.







     



.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages